domingo, 6 de janeiro de 2008

Entoando a canção da vida do Mestre dos mestres - 3ª Estrofe

O verso da distribuição de pães e peixes – Mt. 14.19-20

Continuo aqui a série de artigos comparando a vida de adoração genuína de Jesus com a música.

Fico preocupado com a tendência que a igreja de Cristo tem de se isolar daquilo que chama-se de mundo. Parece que já saiu do plano terrestre, subiu a um nível espiritual tão alto que não se preocupa mais com os problemas sociais. Assume um discurso escatológico, afirmando que se há pobreza, fome, miséria e outros males no mundo é porque Jesus está voltando, e não precisamos nos preocupar com isso, já que iremos com ele. Que falácia egoísta!

Esquecemos que Jesus veio para trazer salvação integral ao homem? E que ele se importou com as necessidades das pessoas? E que os parâmetros do chamado julgamento final são o interesse e suprimento das necessidades dos menos favorecidos, conforme Mt. 25.31-46?

Vivemos uma "vida de adoração tão santa, tão espiritual" que chega a nos impedir de abraçar o bêbado, o mendigo, o faminto. E sem precisar ir muito longe, por vezes nosso irmão do lado está precisando de leite para os seus filhos, nosso vizinho de porta não tem nem a passagem para procurar um emprego e nossa atitude não vai além de orações superespiritualizadas, solicitando o favor de Deus sobre eles. Há pessoas necessitadas no nosso meio ou próximas de nós, que precisam ter necessidades físicas supridas. Há viúvas e órfãos que precisam ser cuidados.

Façamos uma análise: Cristo é o cabeça, nós (a igreja) somos seu corpo. E cada indivíduo que faz parte da igreja é membro desse corpo. Logo, somos a mão, os pés, os braços. Mãos que Ele quer usar pra abençoar. Mãos que ele quer usar pra suprir a necessidade do faminto, do pobre, do sedento, do doente.

Vivemos um tempo em que muitos pregadores, avivalistas, pseudoapóstolos, bispos, adoradores consideram profético/apostólico. Não quero aqui entrar no mérito das terminologias, embora eu ache que alguns desses nomes não passam de títulos para se sobressair no picadeiro do circo gospel. Mas, já que imaginamos viver num tempo profético, que venhamos a entender a mensagem do profeta Amós, onde Deus questiona severamente o desinteresse e a opressão dos desfavorecidos. Se pensamos viver um tempo apostólico, que nos grite aos ouvidos Tiago, quando nos ensina que a religião pura e imaculada (leia-se a verdadeira adoração que agrada a Deus, o Pai) é esta: visitar os órfãos e as viúvas em suas aflições e guardar-se isento das corrupções do mundo.

Há fome espiritual no mundo. Pessoas procuram em todos os lugares por comida espiritual. Será que tem pão na panificadora chamada Igreja? Tem peixe na peixaria dos discípulos?

A verdadeira adoração que agrada a Deus, o Pai, parte de um coração que se importa com os necessitados físicos e espirituais. A canção afinadíssima que foi a vida de Jesus nos ensina isso. E, gravando ao longo da história sua influencia musical, Ele ainda deixa, nos nossos dias, um Bono Vox, nos ensinando a olhar para as causas sociais, além da irmã Flordelis, nas favelas do Rio de Janeiro.

Assista aos vídeos abaixo e leia a reportagem da Revista Enfoque Gospel, e que possamos aprender com pessoas que estão vivendo um cristianismo genuíno, sem carregar os rótulos ou títulos com os quais estamos acostumados.

Seu nome é Flordelis - a História da mãe que lutou por seus 40 filhos

Vale a pena ler o depoimento dessa amada brasileira, genuinamente cristã. Como diria lá nos meus pampas: "Baita" testemunho!!!

Para ler a história e a entrevista que ela concedeu a Revista Enfoque, CLIQUE AQUI

3 comentários:

Denys Oliveira disse...

Caro irmão!

Estou aqui prestigiando este belíssimo texto que nos mostra o quanto muitas vezes nos "trancamos" dentro dos templos e não nos atentamos à nossa missão social como membros do corpo de Cristo. Muitas vezes, nos deixamos levar pela ansiedade de buscar "santidade", "comunhão" e esquecemos de que somos Igreja, ou seja, "chamados para fora".
Deus continue lhe abençoando poderosamente!

Vc tb me incentiva!!!rsrs
Grande abraço!

Renato Oliveira disse...

Cristo nos instrui a ajudar o próximo.
"Então, perguntarão os justos: Senhor, quando foi que te vimos com fome e te demos de comer? Ou com sede e te demos de beber? E quando te vimos forasteiro e te hospedamos? Ou nu e te vestimos? E quando te vimos enfermo ou preso e te fomos visitar? O Rei, respondendo, lhes dirá: Em verdade vos afirmo que, sempre que o fizestes a um destes meus pequeninos irmãos, a mim o fizestes." Mt 25.37-40

O ajudar ao próximo deve ser uma qualidade do Servo!
E muitas vezes esquecemos disto!


Muito bom mesmo este seu texto!
Que Deus continue te Abençoando Poderosamente e que vc continue sendo um Canal de Benção nas mãos do Senhor!!!
Tenha uma Excelente Semana!!!

Graça e Paz!!!!

Renato Oliveira
www.sorogospel.blogspot.com

Faculdade Teológica disse...

Que Deus continue abençoando seu trabalho e nos edificando com seus post Fica Na Paz!!!!
Abs!
Faculdade Teológica